21 de maio de 2008

Cartas com destinatários extraordinários - Música


Alcochete, 15 de Maio de 2008

Querida Música

Então como estás ? Espero que estejas bem.

Tenho algo para te perguntar, algo que não consigo perceber: como é que tu tens tantas personalidades, tantos feitios e mudas de gostos de um dia para o outro? Não leves a mal a minha pergunta, mas é verdade.
Tanto podes estar muito calminha, como podes estar aos pulos. Podes mudar um tom, podes mudar a voz. Como é que fazes isso?! De tantas mudanças, de tantos feitios, qual de todos é o teu estado preferido? Penso que no teu lugar, não conseguiria ter nenhum preferido, pois cada um deve ter um significado, certo?

Tens família? Tens amigos? Tu não sabes o quanto és importante na vida das pessoas. Olha, tu para mim, e com certeza para muitas pessoas, és das minhas melhores amigas. Não passo um dia sem ti. E quando estou a tomar banho, estás lá sempre. Estás lá quando estou contente e quando estou triste. Tu não sabes o que fazes aos corpos das pessoas. Estas ao ouvirem-te, dançam e dançam e muitas delas parecem “possuídas”. Isto que te digo é para veres bem o quanto és importante na humanidade.

Eu, pelo menos, gosto muito de ti.

Um beijinho muito especial para um dos elementos mais especiais da minha vida.
Adoro-te muito. Fica bem.

Nídia Santos (7ºA)

2 comentários:

Marisa Fernandes :D disse...

Está muito giro,este :'D

Feito pela Nii :)

Clube dos Criativos disse...

Está linda esta carta. A Nídia tem imaginação e o que ela referiu é de facto verdade. A música é a nossa companhia, tem vários estilos, porque as pessoas também são diferentes.
Além disso, há músicas para diversos estados de alma...

A professora,
Fátima Costa