15 de Junho de 2009

Uma Carta ao Sonho


Alcochete, 27 de Abril de 2009


Querido Sonho!

Hoje apeteceu-me falar contigo e dizer-te o quão importante és para mim. É verdade, não te estejas a rir...Eu considero, que sem ti o mundo estaria completamente perdido, pois se as pessoas deixarem de sonhar, a esperança deixará de morar nelas e no olhar dessas pessoas deixará de existir aquele brilho que acende a luz na escuridão dos seus dias.

Mais do que ninguém, tu sabes que tens duas facetas. Ora entras no nosso sono e povoas o nosso repouso com histórias e momentos únicos, inacreditáveis, excêntricos, cómicos, tristes... ora preenches a nossa mente com pensamentos que nos acalmam e nos sossegam o espírito. E assim, estás sempre comigo... abraças-me na noite quando durmo. Dás-me a mão quando caminho nas paisagens da minha imaginação.

Muitas vezes quando vou para a cama, antes de dormir, penso quase sempre se irei sonhar, se vou ter pesadelos ou não, se vou acordar bem ou mal disposta. És bem maroto! Sabes por quê? Por vezes és simpático, ofereces-me sonhos bons e o agradável sorriso quando acordo, outras vezes ofereces sonhos maus, ou seja, aquilo que chamamos pesadelos! Olha lá, isto acontece porque estás aborrecido com alguma coisa? Estás triste ou desiludido? Apesar de tudo gosto de ti... porque também me dás sonhos divertidos e outros sem sentido absolutamente nenhum, de tal maneira que fico a cismar neles! Alguns são tão engraçados que davam um verdadeiro filme cómico! Numa situação destas, é difícil conter o riso e não partilhar todos estes instantes com os meus amigos!

Mas eu gosto mesmo muito de ti, quando sonho acordada! Estes sonhos, que me dás, são sempre bons, pois normalmente só quero sonhar com as coisas boas da vida! Gosto de sonhar com momentos futuros encantadores, outros simples, mas relaxantes como andar no meio de um lago, sem ninguém à minha volta, ouvir o cântico dos passarinhos, deslumbrar-me com o verde da natureza à minha volta e escutar os seus segredos.

Consegues mesmo pôr qualquer pessoa fora de “stress” por alguns minutos ou até horas! Como consegues? Despertas sempre um sorriso que há dentro de mim! És absolutamente fantástico! Um dia, espero que me possas responder a todas as minhas dúvidas e perguntas que te fiz, pois quero conhecer os teus mistérios e saber todo este sentimento milagroso que és tu!

E por agora é tudo. Despeço-me com um enorme beijinho e um sorriso de felicidade.

Sara Beatriz, 9ºB

0 comentários: